Divórcio: Tipos, consequências e como lidar com a separação

Especialista em Divórcio

O divórcio é um processo legal que põe fim ao casamento. Neste artigo, vamos abordar os diferentes tipos de divórcio e as consequências que ele pode trazer. Se você está passando por uma separação, continue lendo para entender melhor esse assunto.

Divórcio Consensual: Um dos tipos de divórcio é o consensual. Nesse caso, o casal entra em acordo sobre a separação e resolve todas as questões relacionadas, como divisão de bens, pensão alimentícia e guarda dos filhos, de forma amigável. Esse tipo de divórcio pode ser judicial ou Extrajudicial.

No divórcio Extrajudicial, ou em cartório como é comumente chamado, é uma forma mais simples e rápida de realizar o divórcio quando o casal está de acordo com a separação e não há questões litigiosas a serem resolvidas. Esse tipo de divórcio é regulamentado pela Lei nº 11.441/2007 e pode ser realizado quando não há filhos menores ou incapazes do casal.

Para iniciar o divórcio extrajudicial, o casal deve contratar um advogado, que será responsável por orientá-los e elaborar o documento necessário para o divórcio. Além disso, é obrigatória a presença de um tabelião de notas, que irá lavrar a escritura pública de divórcio.

Divórcio Litigioso: Outro tipo é o divórcio litigioso, que ocorre quando o casal não consegue chegar a um acordo sobre os termos da separação. Nesse caso, cada parte precisa de seu próprio advogado e o juiz tomará decisões sobre os assuntos em disputa, como a divisão dos bens e a guarda dos filhos.

Consequências do Divórcio:

O divórcio pode ter diversas consequências, e é importante estar ciente delas. Alguns pontos a considerar são:

  1. Divisão de bens: Depende do regime de bens adotado no casamento. Considerando o regime mais comum, que é a comunhão parcial de bens, os bens adquiridos durante o casamento devem ser divididos de forma justa. Isso inclui propriedades, veículos, contas bancárias e outros ativos e passivos. A divisão pode ser feita amigavelmente ou pelo juiz, se não houver acordo.
  2. Pensão alimentícia: Em alguns casos, um dos cônjuges pode precisar pagar pensão alimentícia ao outro após o divórcio. Isso ocorre quando há uma disparidade de renda entre as partes ou quando um dos cônjuges precisa de apoio financeiro para se manter.
  3. Guarda dos filhos: Quando há filhos envolvidos, a guarda e a responsabilidade parental precisam ser definidas. O divórcio pode resultar em guarda compartilhada, em que ambos os pais têm direitos e responsabilidades iguais, ou em guarda exclusiva, em que um dos pais é o responsável principal.
  4. Visitas e convivência: Além da guarda, o divórcio também estabelece os direitos de visita e convivência do pai ou mãe que não tem a guarda principal. Esses direitos garantem que ambos os pais possam manter um relacionamento saudável com os filhos, mesmo após a separação.

O divórcio é um processo complexo, mas compreender os tipos de divórcio e suas consequências pode ajudar a enfrentar essa situação. Seja um divórcio consensual ou litigioso, é fundamental buscar a orientação de um advogado especializado em direito de família. Nós poderemos auxiliar na negociação dos termos do divórcio, visando o melhor interesse de todas as partes envolvidas.

Picture of David Landim Advocacia

David Landim Advocacia

A escolha inteligente para a solução de problemas complexos.

Compartilhe nas redes sociais:

Sua opinião é importante! Deixe seu comentário.

plugins premium WordPress